Cataguases volta para onda vermelha mas mantém abertura do comércio

Medida ocorreu após reclassificação da microrregião pelo Governo Estadual na última semana. Todas as atividades comerciais podem funcionar, desde que sigam protocolos específicos para evitar aglomerações e contaminação pelo coronavírus

Por meio de novo Decreto assinado na última terça-feira, dia 2, o prefeito José Henriques determinou a volta de Cataguases para a Onda Vermelha do programa Minas Consciente, do governo do estado. A decisão foi amparada pela decisão estadual do Comitê Covid de reclassificar para a onda vermelha a microrregião na qual pertencem Cataguases, Leopoldina e mais doze municípios.

Desta vez, entretanto, o Decreto 5.348-D não proibe o exercício de atividades comerciais, mesmo as consideradas não essenciais. Isso porque o Programa Minas Consciente passou por uma atualização de suas regras e está agora na fase 3, a que prevê o funcionamento de todas as atividades, independente da onda, mas impondo mais restrições nos protocolos sanitários para garantir a segurança da população.

Neste sentido, em Cataguases o horário ampliado do comércio continua em vigor, das oito da manhã até às 18 horas, e aos sábados, de oito às 13 horas, desde que rigorosamente respeitadas as regras sanitárias e de aglomeração de pessoas. As atividades realizadas sob a modalidade pronta entrega (retirada na porta do local) ou delivery poderão funcionar até meia-noite.

As barbearias, salões de beleza, estéticas e as academias de ginástica, seguem funcionando, desde que obedecidas as regras já em vigor. Os bares, lanchonetes e restaurantes poderão funcionar até meia-noite, respeitando as normas vigentes. Os restaurantes e sorveterias self-service também continuam funcionando conforme o atual sistema, ou seja, com os alimentos sendo servidos pelos próprios funcionários.

Ainda de acordo com o decreto, após os limites de horários já informados, somente segue permitido o funcionamento físico de estabelecimentos que prestem as seguintes atividades comerciais: supermercados, mercados, mercearias, padarias, açougues e quitandas; farmácias e drogarias; clínicas e serviços veterinários (pet shops), serviços de fisioterapia; serviços funerários; transporte e distribuição de gás e água; oficinas automotivas; indústrias em geral; restaurantes e bares (delivery); serviços de transportes e entregas de cargas em geral. Cada colaborador dos estabelecimentos só poderá atender a um cliente por vez, respeitado o limite de 10 metros quadrados por atendimento, e não poderá ser recebido o consumidor que estiver sem máscara.

Segue também permitida a realização de atividades religiosas em templos e igrejas, observando o limite máximo de 30% da capacidade de assentos e, desde que assegurado o distanciamento mínimo de 2 metros entre os presentes.

O governo estadual justifica a manutenção das atividades comerciais mesmo com a classificação de regiões e municípios na onda vermelha. Com a chegada gradativa da vacina, o plano Minas Consciente saiu da lógica de segregar por onda para liberar a maioria das atividades, mas readequando seus níveis de funcionamento de acordo com a realidade específica de cada município.