Saúde lança Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19

Documento visa instrumentalizar as ações do setor, elencando todas as diretrizes para a imunização da
população, seguindo os preceitos do Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde de Minas

A Secretaria de Saúde lançou no final de fevereiro o Plano Operacional da Vacinação contra a Covid-19, como medida adicional de resposta ao enfrentamento da doença, classificada como Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional. O documento segue as diretrizes contidas no “Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19”, instituído pelo Ministério da Saúde, em consonância com o Plano de Vacinação contra Covid-19 para o Estado de Minas Gerais. Ele é introduzido com uma explicação geral sobre a doença, suas características, formas de transmissão, impacto na saúde e nos serviços de saúde, bem como sobre as diversas pesquisas que vêm sendo realizadas em busca de uma vacina.

Na sequência, o plano explana os objetivos da vacinação e os grupos prioritários. Conforme o documento, considerando a transmissibilidade da Covid-19, cerca de 60 a 70% da população precisaria estar imune para interromper a circulação do vírus. “Desta forma, seria necessária a vacinação de 70% ou mais da população para a eliminação da doença. Portanto, em um momento inicial, onde não existe ampla disponibilidade da vacina no mercado mundial, o objetivo principal da vacinação passa a ser focado na redução da morbidade e mortalidade pela Covid-19, de forma que existe a necessidade de se estabelecer grupos prioritários para a vacinação, incluindo os trabalhadores da saúde e dos serviços considerados essenciais”, diz o documento.

Neste sentido, os grupos prioritários elencados no plano são formados por pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência maiores de 18 anos, moradoras em residências inclusivas (institucionalizadas), trabalhadores dos hospitais (públicos ou privados) que realizam atendimento de Covid-19, todos os demais trabalhadores de saúde, idosos acima de 60 anos, pessoas com comorbidades, com deficiência permanente grave, em situação de rua, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, trabalhadores da educação, forças de segurança e salvamento, forças armadas, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, caminhoneiros, trabalhadores industriais, entre outros.

O Plano Municipal ainda estabelece que, em função do recebimento do baixo quantitativo de imunobiológicos, a Secretaria de
Saúde estabeleceu critérios para organizar a demanda, priorizando os idosos e seguindo estritamente as recomendações tanto do Ministério quanto da Secretaria de Estado da Saúde. Também por conta disso, o critério a ser seguido dentro dos grupos prioritários será da maior para a menor idade. O documento relaciona ainda vários assuntos técnicos e de planejamento da vacinação em Cataguases.

Vale destacar que o município conta com um total de sete salas de vacina, distribuídas entre o Centro de Imunização, localizado
na sede do SEMAE (Antigo Pronto Socorro Municipal), nas Unidades Básicas de Saúde dos bairros Bandeirantes, Granjaria, Leonardo, Paraíso e nos distritos de Vista Alegre e Sereno. No período de campanha, as demais unidades de saúde também poderão receber o imunizante, além da realização da vacinação em postos volantes, em locais a serem definidos. Além disso, o documento prevê que durante a vacinação, a secretaria de Saúde utilizará veículos de comunicação diversos, como rádios, canais de comunicação oficiais da Prefeitura, entre outros, para manter a população informada quanto às faixas etárias e grupos prioritários contemplados a cada etapa. Para conhecer melhor o Plano Operacional de Vacinação contra a Covid-19 de Cataguases, acesse o site da prefeitura no link https://www.gestormunicipal.online/_pdf_o/?str_doc=cataguases.mg.gov.br/plano-municipal-vacinacao-covid-19.pdf#, ou leia a íntegra nas páginas 6 e 7 desta edição.